União e luta: MST-RS é maior produtor de arroz orgânico da América Latina

Foto: Alex Garcia via MST/Mídia Ninja
Foto: Alex Garcia via MST/Mídia Ninja

Em meio a uma das maiores crises sanitárias da história, a luta do MST-RS por melhores condições de trabalho e terra, se torna mais importante nesse momento ímpar de sufocamento das liberdades, aumento da miséria, pobreza e acesso a alimentos aos menos favorecidos.

Produzindo arroz orgânico há mais de vinte anos, o MST-RS tornou-se o maior produtor de alimento sem veneno da América Latina.

Somente na safra de 2020/2021, os assentados estimam colher mais de 12,4 mil toneladas, cerca de 248 mil sacas de 50 kg do alimento em aproximadamente 2.740 mil hectares.

Só no Rio Grande do Sul, 389 famílias realizam a produção desse arroz, em 12 assentamentos, sendo eles localizados em 11 municípios gaúchos da região Metropolitana, Sul, Centro Sul e Fronteira Oeste.

Por mais respeito e equidade com o brasileiro

O movimento se preocupa e respeita os seres humanos e os recursos naturais. Nesta pandemia, os pilares que também guiaram os assentados e acampados são as doações de suas produções e o plantio de árvores para famílias em situação de vulnerabilidade.

É a forma que não só MST-RS, mas todo o movimento pelo Brasil encontrou de seguir lutando, contra o desmatamento, o alto índice de agrotóxico liberado pelo atual governo, a fome e a crise sanitária que tão fortemente atinge o povo. Mais do que nunca é fundamental valorizar a agricultura familiar e também toda a cadeia produtiva.

É importante lembrar que o arroz orgânico do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, vai além da produção para a subsistência, existem valores que são seguidos pelos assentados e que nós do LeftBank apoiamos, pois é nisso em que acreditamos.

Acreditamos que a união pode mudar a realidade, acreditamos na equidade, acreditamos na luta da classe trabalhadora e principalmente, acreditamos no brasileiro.

Vamos juntos lutar por um país melhor, recuperar aquilo que foi usurpado do povo e viver em um Brasil sustentável.

Vem ser Left!